Busca ativa de casos de Leishmaniose Visceral

Durante o mês de maio, a equipe acadêmica do curso de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), através do programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde, com apoio logístico da Secretaria de Saúde da Prefeitura de Quixaba, realizou a coleta de sangue em mais de 70 cães, na zona urbana e rural do Município, na busca ativa de casos de Leishmaniose Visceral (LV) nesses animais que são tratados como uma das principais fontes de infecção causada pelo flebotomíneo, conhecido popularmente como mosquito palha.

A ideia central dessa ação é avaliar estratégias de diagnóstico e controle em cães de rua, e a eficácia do protocolo estabelecido pelo Ministério da Saúde (MS) para enfretamento da LV, e – consequentemente – elaborar um plano de monitoramento das potenciais áreas de risco a partir dos casos positivos dessa zoonose. O sangue colhido também será utilizado para estudo da prevalência de Leptospirose.

A LV é uma zoonose que, hoje, representa um grande problema de saúde pública. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a OMS, aproximadamente 350 milhões de pessoas no mundo vivem em áreas consideradas de risco dessa doença. Essa ação abrange o município de Patos e mais seis municípios circunvizinhos, incluindo, assim, Quixaba.

A equipe da UFCG, nessa ação, foi coordenada pelo médico veterinário Dilermando Dantas (Doutorando em Ciências e Saúde Animal, e Mestre e Zootecnia), e teve a atuação dos acadêmicos do curso de Medicina Veterinária, Bruno Henrique, Fabiana Lustosa, Teodoro e Alick Sulliman, com orientação da Dra. Márcia A. Melo.

Para conhecer um pouco mais sobre a LV, clique aqui.


Fonte:
Equipe UFCG / Equipe Saúde de Quixaba

« Voltar