‘Maio Laranja’

Nesta sexta-feira, 18 de maio, será celebrado o Dia Nacional de Combate ao Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Essa data, dessa importante causa, foi escolhida especialmente em homenagem à menina Araceli C.S. Crespo, que em 18 de maio de 1973, em Vitória, Espírito Santo, foi sequestrada, violentada e assassinada.

E para lembrar Araceli e outras crianças e adolescentes que, até hoje, sofrem com o abuso e exploração, a Prefeitura Municipal de Quixaba realizou na tarde dessa quarta-feira, 16, no Centro de Referência da Assistência Social de Quixaba (Cras Quixaba), o ‘Maio Laranja’, como também é conhecido o 18 de maio.

O evento foi realizado por meio de uma parceria entre o Cras Quixaba e o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), polo Várzea, com participação de membros da rede intersetorial de Quixaba: políticas públicas, Igreja, Conselho Tutelar.

Integrantes do grupo de Serviço e Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), um dos serviços oferecidos pelo Cras, deram abertura ao ‘Maio Laranja’ apresentando uma dança que trazia uma reflexão sobre o tema.

Logo após, Fabiana Damasceno, assistente social do Creas, deu uma palestra sobre pontos relevantes do que cerca a data, como leis, implicâncias, exibições de vídeos didáticos com perfil de crianças abusadas e abusadores e a quais órgãos recorrer nessas situações. Para Fabiana, capacidade de identificação dos traços de abuso e orientação constituem práticas indispensáveis no combate ao abuso e exploração.

“É importante estar falando, identificando esses sinais como mostrados (nos vídeos). É preciso termos o compromisso de orientar nossas crianças e adolescentes até mesmo numa rede social, por exemplo, como no caso de nudes; enquanto rede de proteção, precisamos saber onde e como intervir.”

Derivan Ribeiro, coordenadora do Cras Quixaba, enxergou a palestra como uma oportunidade de sensibilizar e trazer à reflexão, aos profissionais do Centro e da rede intersetorial, da importância do combate para evitar sequelas na vida dos jovens.

“O que temos aqui hoje é de suma importância para reflexão e sensibilização dos profissionais para trabalharem nessa campanha e ajudarem na prevenção e no enfrentamento do abuso e exploração”, reiterou Derivan Ribeiro, coordenadora do Cras Quixaba.

« Voltar