Alerta contra o Aedes aegypti

A Prefeitura Municipal de Quixaba, através da Secretaria de Saúde, convoca a população Quixaba intensificar o combate ao mosquito Aedes aegypti, responsável pela transmissão da dengue, Zika Vírus e Chikungunya. Apesar de não ter sido notificado nenhum caso até à 20ª semana de 2018, a situação é de alerta.

Com o resultado de 2,0% referente ao Levantamento de Índice Amostral (LIA), que avalia os quarteirões com foco, Quixaba, hoje, enquadra-se como de ‘Médio Risco’, podendo, caso não sejam tomados os devidos cuidados, vir a ter casos notificados de doenças oriundas do Aedes.

“É preciso que a população esteja consciente do risco, e que, depósitos de água como caixas d’águas descobertas, água da chuva parada e acumulada, lixo jogado nas ruas, terrenos baldios e quintais sujos, favorecem a proliferação dos mosquitos, pois funcionam como criadouros. Lembramos que só com o trabalho dos agentes de saúde, de endemias e profissionais da saúde em geral, não será suficiente para combater o mosquito”, faz o apelo Mércia Bastista, coordenadora de vigilância epidemiológica de Quixaba que, ao lado do supervisor de área Francisco Pereira de Lucena (Caxias), fizeram visitas em algumas residências do Conjunto Novo na manhã desta quarta-feira, 23, alertando para os riscos e para o que deve ser feito para disseminar o mosquito.

Algumas atividades já vêm sendo realizadas pela Prefeitura por meio da pasta de Saúde, como retirada de lixo de terrenos baldios, tratamento nas residências com foco, palestras nas escolas e Unidade Básica de Saúde Robson Carneiro e visitas regulares nas residências feitas pelos profissionais de saúde.

Mas ainda assim, algumas atitudes no cotidiano podem fazer a diferença nessa luta:

- Manter as caixas d’água sempre fechadas com a tampa adequada;

- Guardar pneus em locais cobertos e secos;

- Guardar garrafas com a boca virada para baixo;

- Colocar areia nos vasos de plantas;

- Colocar lixo em sacos plásticos fechados;

- Não deixar a água de chuva acumulada sobre a laje.

Portanto, veja, agora, como estão os depósitos em sua casa, converse com o seu vizinho e colabore através dessas medidas simples. Faça sua parte. Juntos somos mais fortes.

« Voltar